Problematizações entre a dinâmica familiar preconizada pela Assistência Social brasileira e a família monoparental feminina

Danielle Jardim Barreto, Carolina de Lima Balani, Paulo da Silva Braz, Rafael Oliveira Prina

Resumo


A mulher, ao longo da história, foi alocada em lugar de privacidade e passividade na sociedade. Nos dias atuais, muitas mulheres são chefes de família monoparental e são a maioria dos(as) usuários(as) da política de Assistência Social brasileira, que preconiza em seu trabalho uma heterogeneidade de modelos familiares, embora não saia de um modelo cristalizado de funcionamento e papéis dentro da família. Em uma realidade familiar monoparental feminina, na qual a dinâmica familiar difere das famílias nucleares tradicionais, a política nacional de Assistência Social precisa considerar novas formas de exercício da dinâmica familiar, que não essas tradicionais, e contribuir para a desconstrução de discursos sedimentados que atravessam suas práticas.

Palavras-chave: Mulher; Família; Assistência Social.

 


Texto completo:

PDF




A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br