Os jovens e as redes sociais virtuais

Cristina Bordignon, Irme Salete Bonamigo

Resumo


O presente artigo analisa as implicações das redes sociais virtuais na configuração de relacionamentos entre os jovens do município de São Lourenço do Oeste (SC). Fundamenta-se em pesquisa cartográfica com jovens lourencianos, por meio de grupo focal virtual e pesquisa documental na plataforma Facebook. O contato com esse grupo permitiu conhecer as vantagens e as desvantagens que os jovens pesquisados atribuem à adesão às redes sociais virtuais. Observou-se que os jovens, por meio das redes sociais virtuais, são convidados a tornar públicas suas intimidades. Notou-se que esse meio digital também instiga os jovens a serem mais dinâmicos e ágeis, por estimular que façam várias coisas simultaneamente, suscitando novas formas de interação humana. Conclui-se que as redes sociais virtuais podem contribuir para a homogeneização das subjetividades, ao uniformizar modos de ser, pensar, sentir e perceber. Porém, podem também implicar produção de subjetividades singulares, engendrando formas inéditas de viver.

 Palavras-chave: Jovens. Cartografia. Redes sociais virtuais. Relacionamentos. Subjetividade.


Palavras-chave


Jovens. Cartografia. Redes sociais virtuais. Relacionamentos. Subjetividade.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários




A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br