O trabalho psicossocial em rede: uma experiência no município de Cajamar

Soraia Ansara, Ingrid Matzembacher Stocker Taffarello

Resumo


Este artigo refere-se a uma prática psicossocial comunitária na qual foi implantado o trabalho em rede, cuja metodologia teve por base o referencial da psicologia comunitária defendido por Montero (2004; 2006). Essa experiência de trabalho em rede foi realizada no Município de Cajamar durante dois anos (2007-2009), com a participação de diferentes atores sociais, dentre eles representantes do poder público (diretorias: cultura, esportes, saúde, assistência social, defesa civil) e da sociedade civil (associações de bairro, pastoral da criança, usuários da assistência social), fórum, representantes de empresas e comércio. A iniciativa dessa intervenção psicossocial visava introduzir uma prática comunitária desde a implantação dos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS), tendo em vista romper com aquelas práticas marcadas pelo assistencialismo e clientelismo. A experiência aqui relatada evidencia que as metodologias participativas, que envolvem a população destinatária dos Programas Sociais, promovem a construção de uma cidadania forte, consciente e crítica, como propõe Montero (2004), mas requer que a população assuma a direção dessas ações, não podendo ficar nas mãos do Poder Público.


Palavras-chave


Trabalho em rede; Práticas psicossociais; Psicologia comunitária; Metodologias participativas; Fortalecimento da comunidade.

Texto completo:

RESUMO PDF




A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br