Práticas de saúde na escola: um estudo cartográfico na cidade de Parnaíba-PI

Ana Caroline Viana de Melo, João Paulo Pereira Barros

Resumo


O artigo aborda resultados de uma pesquisa que visou cartografar práticas de saúde no cotidiano de uma escola pública de Parnaíba-PI. Os objetivos específicos foram compreender concepções que sustentam as práticas de saúde desenvolvidas por profissionais de saúde e educação no cotidiano da escola, assim como discutir processos de subjetivação agenciados pelas práticas de saúde no território escolar. A pesquisa teve um direcionamento qualitativo, na perspectiva de uma pesquisa-intervenção que enfoca a implantação do Programa de Saúde na Escola em um estabelecimento educacional na referida cidade piauiense. A pesquisa-intervenção utilizou-se da observação participante de práticas de saúde na escola lócus, além de entrevistas semiestruturadas e roda de conversa com profissionais da atenção primária e profissionais da escola. A cartografia aponta que o território escolar investigado é fortemente marcado por práticas de saúde pautadas em concepções biologicistas, articulando-se a tecnologias disciplinares e biopolíticas de poder que agenciam processos de sujeição de crianças e adolescentes. Não obstante, a cartografia destaca também processos de deslocamentos e resistências a essas perspectivas.

Palavras-chave: Saúde; Escola; Subjetividade; Cartografia.


Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários




A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br