O papel das praças para o envelhecimento ativo sob o ponto de vista dos especialistas

Eduardo Alexandre Ribeiro da Silva, Gleice Azambuja Elali

Resumo


Estudos que investigam o comportamento humano em espaços abertos ressaltam que estar ao ar livre favorece o bem-estar físico e mental, refletindo positivamente na saúde e na qualidade de vida, notadamente dos idosos, devido à variedade de estímulos e às oportunidades de socialização oferecidas por esses ambientes. A fim de investigar o papel das praças públicas para o envelhecimento ativo, foi realizado um painel de experts, em que sete profissionais que trabalham com idosos na cidade de Natal/RN foram entrevistados. O roteiro de entrevista envolveu temas ligados ao envelhecimento ativo, socialização e suporte ambiental. As respostas foram trabalhadas por meio da análise de conteúdo e indicaram que os especialistas consideram as praças locais com grande potencial para a promoção do envelhecimento ativo, desde que disponham dos elementos que ofereçam o suporte necessário à permanência de idosos nela.


Palavras-chave


idosos, Psicologia Ambiental, interação social, praças, ambiente construído.

Texto completo:

RESUMO PDF




A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br