Impactos da (des)territorialização nos processos de subjetivação: experiências migratórias de refugiadas venezuelanas em Bogotá

Núbia Vale Rodrigues, Isabela Saraiva de Queiroz, Aida Milena Cabrera Lozano

Resumo


O presente artigo visa analisar os impactos nos processos de subjetivação de mulheres venezuelanas que, em meio ao forte fluxo migratório recente, se veem diante de um processo de (des)territorialização. Propõem-se discussões sobre elementos do sofrimento ético-político, a construção identitária e a feminização da migração, a partir da produção de narrativas, tendo a categoria de gênero como analisador fundamental de tais fluxos. As entrevistas com mulheres que se encontravam em Bogotá, Colômbia, versaram sobre as memórias da Venezuela, a motivação para a saída, o trânsito na fronteira, a chegada à cidade, as dificuldades cotidianas de adaptação, e os ecos desse processo. Ao final, a escuta dessas experiências emerge como forma de enfrentamento ao silenciamento de vozes marginalizadas e de reflexão sobre as estratégias de acolhimento que têm sido adotadas na região.


Palavras-chave


mulheres refugiadas; migração venezuelana; experiências migratórias; processos de subjetivação.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br