Conhecer, intervir, partilhar: pistas para a pesquisa psicossocial na construção de outros mundos possíveis

Rosa Maria Leite Ribeiro Pedro, Mariana de Castro Moreira

Resumo


 

Partindo das interpelações impostas pelo atual cenário atravessado por uma pandemia sem precedentes, o presente artigo busca refletir sobre a construção de conhecimento desde uma perspectiva psicossocial. Para tanto, dialoga tanto com as heranças que renovaram o campo a partir da chamada “crise da Psicologia Social" nas pesquisas realizadas na América Latina e no Brasil – que se expressam em autores tais como Sílvia Lane, Paulo Freire, Inacio Martín-Baró, Maria Inácia d’Ávila - quanto com autores do campo ciência-tecnologia-sociedade (CTS) que têm problematizado os modos de fazer pesquisa e de fazer pesquisa nas ciências sociais – dentre os quais destacamos Bruno Latour, Donna Haraway, Vincianne Despret, Isabelle Stengers. Propomos, inicialmente, dessubstancializar a noção de psicossocial e, a partir daí, avançar na proposição de uma pesquisa situada, aterrada, tecida com aqueles com quem pesquisamos, tendo como balizamento a proposição cosmopolítica, entendida como possibilidade de composição de um mundo comum, articulado e heterogêneo.


Palavras-chave


Pesquisa psicossocial. Conhecimento situado. Cosmopolítica.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais é uma publicação eletrônica, mantida pelo Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial e pelo Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (LAPIP/PPGPSI/UFSJ). É um periódico aberto, registrado com o ISSN 1809-8908, de acesso livre na internet publicado quadrimestralmente, desde 2006. http://www.seer.ufsj.edu.br