Crianças com necessidades especiais de saúde de um município de Minas Gerais: estudo descritivo

Gabriela Vilaça Alves, Gabriela de Oliveira Lomba, Thaís Araújo Barbosa, Kamilla Milione Nogueira Reis, Patrícia Pinto Braga

Resumo


Introdução: Estudos apontam uma mudança significativa no perfil epidemiológico de morbimortalidade da população infantil no Brasil. A evolução tecnológica e assistencial de medicamentos e equipamentos tem levado à sobrevivência de crianças com prematuridade extrema, malformações congênitas e doenças crônicas complexas. Objetivo: Descrever o perfil de morbidade de crianças com deficiência múltipla e/ou intelectual atendidas em uma Instituição Filantrópica de Divinópolis. Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo quantitativo que utilizou como fonte de informação 134 prontuários. Resultados e Discussão: A análise revelou que 56,7% das crianças eram do sexo masculino e 43,3% do sexo feminino; 26,9% das crianças apresentavam Paralisia Cerebral Espástica, 14,2% tinham Atraso no Desenvolvimento Neuropsicomotor e os demais apresentavam outras morbidades; 72,4% das crianças apresentaram algum tipo de complicação neonatal. As principais causas relacionadas com o surgimento de condições especiais de saúde são as afecções perinatais, que levam um longo tempo de tratamento e determinam sequelas complexas. Considerações finais: O perfil de morbidade das crianças revela a importância de uma atenção de qualidade em saúde, para minimizar o surgimento de sequelas advindas da recuperação de complicações perinatais.

Palavras-chave


Crianças com deficiência; Doença crônica; Assistência à Saúde

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v0i0.778

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175