Vida e sexualidade de mulheres estomizadas: subsídios à enfermagem

Marina Soares Mota, Camila Daiane Silva, Giovana Calcagno Gomes

Resumo


Objetivo: o estudo teve por objetivo conhecer como a estomização interfere na expressão da sexualidade de mulheres estomizadas. Método: trata-se de uma pesquisa qualitativa, realizada no segundo semestre de 2012 com as mulheres estomizadas há mais de um ano, cadastradas em um Serviço de Estomaterapia de um hospital. Os dados foram coletados por entrevistas semiestruturadas e tratados pela técnica de Análise Temática. Resultados: parte significativa das mudanças concentra-se no controle fecal e de gases, bem como problemas no exercício da profissão e de atividades físicas e lazer. Quanto à sexualidade, a mulher possui barreiras construídas por ela mesma, como vergonha da imagem corporal e o medo da rejeição do parceiro. Conclusão: é importante que os profissionais da saúde implementem estratégias educativas para mulheres estomizadas e seus companheiros, auxiliando-as a superarem suas dificuldades a fim de se tornarem capazes de vivenciar sua sexualidade de forma prazerosa. 


Palavras-chave


Estomia; Sexualidade; Enfermagem.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v6i2.1004

ISSN: 2236-6091

DOI:10.19175